terça-feira, 25 de agosto de 2009

37 ANOS DE A ROSA DE VERSAILLES

Ryoko ikeda inova no shoujo mangá histórico criando um modelo para futuras gerações
A obra “Berusaiyu no Bara” (ou “A rosa de Versailles”) começou a ser publicada no ano de 1972, pela editora Shueisha, na 21ª Edição da revista semanal, Shukan Margaret (responsável pela apresentação de diversos outros títulos importantes).
A editora não tinha grandes esperanças de que o mangá de cunho histórico tivesse uma boa repercussão entre o publico feminino (já que o titulo é shoujo). Mas contrariando todas as perspectivas, o mangá se tornou instantaneamente um sucesso de vendas e logo ganhou o titulo de “uma das obras mais importantes da história do shoujo mangá”.
A serie, que foi publicada durante 82 semanas consecutivas e finalizada na edição de numero 52 da revista, havia conquistado seu lugar especial no coração dos fans.
Mas o que leva esta série, que esta completando quase 40 anos de existência ser tão especial? Bem, a resposta é clara. Por que é um clássico, e por que até agora nenhum outro trabalho no gênero anime/mangá conseguiu levar com tanta sutileza uma narrativa de fundo histórico e teor revolucionário como Ryoko Ikeda conseguiu em “a rosa de versailles”.
O enredo do anime se inicia no fim do ano de 1755. O Conde General Jarjayes estava à espera do nascimento de seu mais novo filho, mas suas esperanças se desvanecem ao ver que tivera mais uma filha. Inconformado, ele decide criar a filha caçula como um homem, e lhe dá o nome de Oscar François Jarjayes. O Conde Jarjayes, como atual patriarca de uma família nobre cujos filhos, por tradição, eram membros da Guarda Real (que cuidavam da segurança da família real), prepara Oscar para seu destino.


A história gira em torno de duas personagens, uma fictícia e a outra real. Oscar François de Jarjayes e a Princesa Maria Antonieta da França. Durante boa parte do anime, Oscar salva a princesa de tentativas de seqüestro e escândalos contra a imagem da coroa francesa, enquanto ao mesmo tempo, ambas lidam com problemas emocionais e a pressão causada pela corte sobre todos que ali residem.

Os traços de Ikeda são de uma delicadeza tamanha e grande expressividade, é possível realmente notar o quão o personagem esta comovido na cena. Obviamente a arte do mangá deixa a desejar, e o enredo do mesmo tem um tom mais divertido e engraçado, mas tanto o anime quanto o mangá tem o seu valor único.
O enredo resgata a ação no melhor estilo capa-espada, a trilha sonora complementa os diálogos e cenas de forma primorosa e o simples fato de um anime ter sido feito encima de fatos históricos reais já credita muitos pontos ao mesmo.
No Japão, “a rosa de Versailles”, foi inspiração para diversos outros animes envolvendo heroínas que lutam. Alguns exemplos são: “shoujo kagumen utena”, “murder princess”, “guerreiras mágicas de reyearth”, “sakura kaiser”, entre outros.
Além de ter se tornado peça teatral feita pelo teatro takarazuka (composto apenas por mulheres), estatua que enfeita praças, filme, áudio-drama (CDs com o dialogo do mangá) e inúmeros produtos desde cosméticos a produtos alimentícios.


“Realmente, é um anime OBRIGATÓRIO a todos os fãs de boas histórias (e da Revolução Francesa) e de personagens marcantes. Perfeito em todos os sentidos, Rosa de Versailles prova que os melhores animes realmente se encontram entre os que foram produzidos no século XX. Os clássicos antigos são muito superiores aos animes sem substância atuais.
Hoje, para mim, é difícil ler sobre o período que antecedeu a Revolução Francesa sem sentir falta de Oscar, tamanha foi a habilidade da autora, Ryoko Ikeda em amarrar ficção e realidade.” (trecho extraído do site Shoujo house).

Por isso e muito mais, vamos apagar as 37 velinhas junto com este marco do shoujo mangá. PARABENS BERUSAYU NO BARA!!!

Quem é Ryoko Ikeda?
Ryoko Ikeda nasceu em 1947. Estudou filosofia, mas largou a faculdade para se dedicar profissionalmente aos quadrinhos em 1967. Pode-se dizer que ela foi a precursora das manga-kás. Sem Ikeda com certeza não teríamos The Clamp, Naoko Takeuchi ou Chiho Saito.
Nos últimos anos ela tem se dedicado a seguir outro de seus sonhos, ser cantora e por isso entrou na faculdade de canto do Japão. Ryoko tem atualmente 62 anos. (2009)
Outras obras conhecidas da autora:
Berusaiyu no Bara
Orufesu no Mado
Claudine
Oniisama e...
Elizabeth
Fantasy
From Eroica With Love




Ficou interessado?


Bem, o mangá esta sendo traduzido em inglês, pelo site de Yuri&shoujo-ai Lililicious, sob o nome de “rose of versailles”. Elas também oferecem Oniisama e... e Claudine traduzidos em inglês e completos.

Agora se o seu negócio é só Pt-Br o site Aino Scanlation esta fazendo sua tradução em português de Claudine.

Se o que você quer é a série de anime, o Kanzen Animes tem os 40 episódios legendados em português e eles também tem Oniisama e...  ambos animes completos.

Obrigada por ler e volte sempre.
Sábado, 13 de junho de 2009

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Oi, nos diga o que achou do post!

 

Social Profiles

Twitter Facebook Google Plus LinkedIn RSS Feed Email Pinterest

Nossas redes sociais

Chatbox

Progresso dos projetos

  • Devore ou Seja Devorado (Novel)
    50%
  • Groupie
    60%


  • New York, New York
    22%


  • Tsuyogari
    50%


  • Honey&Honey
    20%

Visitantes

Visitas
online
Desde: 2012
Meta: O máximo de seguidores que conseguimos trazer para o lado rosa da força
Você visitou o blog: Vezes

Seguidores

Blog Archive

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

BTemplates.com

Copyright © Tenou's House Layout by: Misaki | Powered by Blogger
Design by Lizard Themes | Blogger Theme by Lasantha - PremiumBloggerTemplates.com